terça-feira, 6 de novembro de 2012

(Re)encontro

{ Imagem por : samanthatatro }


Quando eu me perco dentro de mim, quando meus ouvidos da alma ficam ensurdecidos eis que meus olhos vislumbram o norte. 
Eles encontram você, que esteve tão perto o tempo todo, mesmo eu me sentindo tão longe. Meus joelhos se reconciliam com o tapete e os mares que nos separam se tornam secos.
 O seu sussurrar em meios as tempestades me mostra que a imerecida vida fluindo é a coisa mais bela que se pode contemplar.
E apesar da sequidão do meu deserto interior, encontro sua fonte de águas vivificadora. Como não sorrir e me achar pateticamente uma instabilidade ambulante?
 Como não achar graça desse paradoxo interior que eu criei? Mas você transcende toda a lógica, organiza minhas equações e resolve todas as minhas incógnitas, ainda que elas não tenham um valor definido.
O que mais importa agora é que meus olhos encontraram você, e eu sinceramente suplico que não os deixe saltar pelas distrações do caminho, mas que os faça tão sensíveis a Ti a ponto de curarem os ouvidos da minha alma... 
Pois assim caminharão juntos na incrível aventura de explorar quem Tu realmente és!

Um comentário:

  1. Passando pela net encontrei o seu blog, estive a folhear achei-o muito bom, feito com muito bom gosto.
    Tenho um blog que gostava que conhecesse. O Peregrino E Servo.
    PS. Se desejar fazer parte dos meus amigos virtuais faça-o de forma a que eu possa encontrar o seu blog para o seguir também.
    Que haja paz e saúde no seu lar.
    Com votos de saúde e de grandes vitórias.
    Sou António Batalha.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir

Outros textos

Related Posts with Thumbnails